sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Macluf e presidente da RS Óleo e Gás planejam rodada de negócios

Lançando mão dos contatos realizados enquanto titular da secretaria estadual da Ciência e Tecnologia, em 2011, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Eduardo Macluf, projeta ações em parceria com o presidente da Associação RS Óleo e Gás, Estevão Leuck. Em reunião na manhã de hoje (25), em seu gabinete, Macluf e Leuck delinearam um evento de incentivo ao polo naval, concebido no formato de rodada de negócios.

O intento do gestor público é, além de aproximar o empresariado local de diversos subsegmentos de mercado – incentivando o fechamento de contratos para fornecimento de bens e serviços – das corporações da área, fazê-lo participar mais ativamente das entidades que o representam. A expectativa de ambos é organizar e promover a rodada ainda no primeiro semestre desse ano.

Na audiência desta sexta-feira, na qual este presente também o representante da associação em Pelotas, Filipe Delgado, o secretário destacou a importância da atuação da Rede Petro, entidade que congrega 360 membros e foi coordenada por ele em 2010, quando estava à frente da pasta estadual da Ciência e Tecnologia. “Tanto a RS Óleo e Gás, quanto a Rede Petro são fundamentais na interação dos empreendedores de Pelotas com os investidores de fora do Município e do Estado”, salientou.

Outro tema sobre o fomento ao desenvolvimento do polo naval debatido diz respeito à decisão de Leuck de estabelecer uma base da associação no Município. “No entanto, devido às vantagens dos modais de transporte e do apoio da associada Usimec, por meio de Filipe Delgado, funcionário do departamento comercial da companhia, optamos por Pelotas”, esclareceu o presidente da entidade, ressaltando que a ideia inicial era abrir a sucursal em Rio Grande.

Com o avanço dos novos investimentos na cidade, Macluf estima a consolidação de um planejamento estratégico, ainda em 2011, a ser estruturado em parceria com o Sebrae e a Fiergs. “O fato da RS Óleo e Gás ter antevisto o potencial deste governo e de Pelotas traduz o ambiente propício para atração, por exemplo, de fabricantes voltadas à produção de componentes”, analisa Macluf.

Na ênfase da vocação do Município à recepção destas corporações, mencionou, em especial, a facilidade de navegação direta, em apenas 45 quilômetros, do Canal São Gonçalo ao dique seco de Rio Grande e a redução dos custos de transporte em até cinco vezes em relação ao meio rodoviário. “Adicionalmente, os empreendedores podem contar com a BR 392, o Aeroporto Internacional de Pelotas, as capacidades da rede hoteleira e do mercado imobiliário, bem como a alta capacitação de mão-de-obra”, assinalou o secretário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário